Pensamento do dia: Mudança de rumo

Último dia do ano, e você reflete sobre erros e acertos dos últimos 12 meses. Agora é o momento de planeja seu futuro. Já pensou em uma mudança de rumo, como deixar de trabalhar em uma empresa que está insatisfeita e colocar em prática o sonho de abrir um negócio?

“Para mudar nossos hábitos, primeiro temos que assumir o compromisso profundo de pagar o preço que for necessário.” – William James

Anúncios

Dica de leitura: “Sonho Grande”

Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Beto Sicupira ergueram, em pouco mais de quatro décadas, o maior império da história do capitalismo brasileiro e ganharam uma projeção sem precedentes no cenário mundial. Nos últimos cinco anos eles compraram nada menos que três marcas americanas conhecidas globalmente: Budweiser, Burger King e Heinz.

Tudo isso na mais absoluta discrição, esforçando-se para ficar longe dos holofotes. A fórmula de gestão que desenvolveram, seguida com fervor por seus funcionários, se baseia em meritocracia, simplicidade e busca incessante por redução de custos. Uma cultura tão eficiente quanto implacável, em que não há espaço para o desempenho medíocre. Por outro lado, quem traz resultados excepcionais tem a chance de se tornar sócio de suas companhias e fazer fortuna.

“Sonho grande” é o relato detalhado dos bastidores da trajetória desses empresários desde a fundação do banco Garantia, nos anos 70, até os dias de hoje.

Criatividade: 4 coisas que Leonardo da Vinci pode te ensinar

A criatividade é uma das qualidades mais desejadas em profissionais atualmente, o problema é que em alguns casos é complicado trazê-la à tona. Nesses momentos, uma boa ideia é se inspirar em personalidades conhecidas por sua habilidade nessa área. Uma das pessoas mais inspiradoras que você poderá encontrar sobre isso é Leonardo Da Vinci. O mestre italiano tinha muitas habilidades e grandes ideias, mas, além disso, tinha um diferencial: sabia olhar o mundo ao redor dele de uma maneira inovadora. Veja o que ele pode ensinar a você sobre ser criativo:

  1. Curiosidade

Crianças são curiosas por natureza, mas, à medida que crescemos, muito dessa característica se perde. Entretanto, gênios como Da Vinci conseguem manter a curiosidade aguçada por toda a vida. Mantendo essa característica viva em você, será possível se tornar alguém questionador e, em consequência, mais criativo.

  1. Pensamento independente

Diversidade é fundamental para a criatividade e para a inovação. Por isso, é sempre importante buscar pontos de vista diferentes do seu e da convenção estabelecida. Da Vinci nunca se contentava com as convenções da sociedade, sempre ia além, buscando novas perspectivas para um fato já conhecido. Fazendo isso, você se tornará mais experiente e terá mais chances de desenvolver sua própria opinião.

  1. Sentidos apurados 

No mundo profissional isso pode ser traduzido como ouvir bem e ser observador, conselhos simples, mas difíceis de serem cumpridos em um mundo cada vez mais disperso. Embora muitos profissionais tenham dificuldade em desenvolver essa habilidade, é muito simples fazer isso se inspirando em Da Vinci: saiba apreciar as artes. Leia poesias, aprecie boas músicas e belos quadros, etc. Isso vai aguçar seus sentidos e permitir que você aumente seu potencial criativo.

  1. Absorva a incerteza 

A capacidade de projetar confiança frente a situações desconhecidas é fundamental para que você se sinta confortável com a incerteza e deixe as ideias criativas surgirem. Porém, esse é um exercício complexo, porque atualmente o fato de não saber indica um defeito. Se esse é o seu caso, inspire-se em Da Vinci e aceite a dúvida como impulso para uma nova criação e não faça as coisas sempre do mesmo jeito.

Fonte: Universia Brasil

Dica de leitura: “Transformando ideias em negócios”

Com a leitura da obra “Empreendedorismo: Transformando ideias em Negócios”, de José Dornelas, você aprenderá como criar e desenvolver uma empresa de sucesso desde a ideia até a gestão do novo negócio. Em sua quinta edição e com mais de 200 mil exemplares vendidos, o livro traz várias novidades:

• Estudos de casos de empreendedores brasileiros de sucesso: um empreendedor que montou seu negócio ainda na faculdade e hoje possui uma das principais agências web do Brasil voltada à criação de jogos e sites interativos (Webcore); um dos sócios envolvidos na criação de alguns dos maiores sucessos da web brasileira nos anos recentes (Hotel Urbano e Hotelli); um ex-jogador de tênis que desenvolveu uma empresa que se tornou referência de sucesso quando o assunto é açaí (Frooty).

• Outros estudos de casos foram atualizados e houve a inclusão de novos materiais na área de downloads do site http://www.josedornelas.com.br. Este conteúdo pode ser acessado gratuitamente após cadastro no site.

Com conselhos práticos de empreendedores de sucesso e conceitos apresentados de forma didática para imediata aplicação, tornou-se uma referência no país sobre os temas empreendedorismo e plano de negócios, e leitura indispensável aos empreendedores de hoje e de amanhã.

Dica de livro: “Como fazer uma empresa dar certo em um país incerto”

Muitas empreendedoras gastam cada hora do dia lidando com a gestão da empresa e esquecem que conhecimento e inovação são fundamentais para fazer a sua uma crescer. Por isso, é fundamental ‘separar’ alguns momentos de sua rotina para ler livros, artigos e estudos sobre negócios e empreendedorismo.

livro “Como fazer uma empresa dar certo em um país incerto”

Desta forma, o blog Nobres Mulheres vem disponibilizando dicas de literatura que podem inspirá-la em seu negócio. O livro do dia é “Como fazer uma empresa dar certo em um país incerto”.

O livro lançado pelo Instituto Endeavor traz o depoimento de 51 dos mais bem sucedidos empresários do Brasil. Abilio Diniz, Emílio Odebrecht, Jorge Gerdau e Marcel Telles, entre outros, relatam como foram suas experiências empresariais trazendo enormes vantagens para os empreendedores brasileiros, que são analisar, adaptar e reproduzir soluções bem-sucedidas, aprender com erros alheios e evitar sua repetição.

“Como fazer uma empresa dar certo em um país incerto” trata de assuntos como gestão, gente, sociedade, mercado e aspectos legais, exemplificados com casos reais de forma muito prática. O leitor encontra experiências relatadas por personalidades do meio empresarial como a reviravolta numa grande empresa como a Brahma (hoje INBEV) até a fundação de um potência como a Natura.

Boa leitura, e fique inspirada para um ano que está prestes a começar!

Empresárias investem no planejamento para ter sucesso

plano negócio

Preparação e planejamento. Essas foram as palavras-chave para o sucesso do empreendimento de Candice Colombo dos Santos e Juliana Matos Buzolin Ferrão, que decidiram que abrir um pet shop era o segmento certo para investir. Afinal, ambas são profissionais em veterinária e apaixonadas pelos animais.

“Eu já tinha a ideia de montar um negócio. Então, procurei o Sebrae para entender quais passos deveria dar”, contou Juliana Matos. Segundo ela, o início se deu com a produção do plano de negócio e depois com a pesquisa de mercado. “Conseguimos saber o que o consumidor de Palmas (TO) queria de um pet shop e quanto ele gasta em média com esse tipo de serviço. Isso nos deu um direcionamento do negócio”, explicou Juliana.

As sócias, conforme explica Candice Colombo, ainda buscaram o que poderiam oferecer de diferencial em seu negócio. “Então, além dos serviços tradicionais, oferecemos também spa e creche”, elencou Candice, acrescentando que o estabelecimento também possui hotel monitorado, onde o dono pode ver seu animal de estimação pela internet. “Algumas pessoas diziam que éramos doidas e nos questionavam se Palmas comportaria esses serviços”, lembrou Juliana.

Segundo as empresárias, o resultado do sucesso do negócio, a Pet House – resort e hotel para cães e gatos, está sendo evidenciado pela fidelização dos clientes. “Muitos vêm e depois voltam com amigos, familiares. Pesquisas que fizemos mostraram que quase 100% dos clientes indicariam outras pessoas para a empresa”, afirmou Juliana.

O analista do Sebrae no Tocantins, Rogério Maracaípe, indicou inicialmente para que elas participassem do Programa de Orientação para Candidatos a Empresários (Próprio), onde foram capacitadas para elaborar o seu plano de negócio. “Após isso, elas receberam a consultoria de viabilidade e começaram a colocar em prática tudo que haviam planejado”, contou.

O analista explica que, logo depois, as empresárias foram direcionadas para o projeto de Pet Shops, onde atualmente recebem consultorias de gestão específicas para esse segmento. “Elas são a prova de que as chances de sucesso aumentam se o empreendedor investir um tempo para colocar suas ideias no papel. Isso está comprovado nas instalações inovadoras da empresa, no atendimento e nos resultados financeiros que já estão aparecendo”, analisou Maracaípe.

Fonte: Sebrae

Inovação é oxigênio e diferencial para os pequenos negócios

ideia empreendedorismo

Aos 26 anos, o jovem Marcelo Folha Júnior aprendeu uma lição que mudou a história do Corleone Restaurante e Eventos, espaço aberto por ele e mais dois sócios há  dois anos. Segundo ele, inovar é preciso para se manter no mercado. Afinal, em pelo século 21, não dá para ignorar que a inovação é oxigênio para as empresas, independente do seu tamanho. A medida agrega valor aos produtos e diferencia o empreendimento no ambiente competitivo.

Formado em Administração, graduando do curso de Direito, e pós-graduado em gestão financeira, Marcelo Folha admite que não se preparou para empreender. “Eu não fiz o básico do que reza a cartilha de quem quer abrir um negócio, como elaborar um plano de negócio”, diz o empresário, que conseguiu tirar o empreendimento do vermelho graças ao atendimento que recebeu do Sebrae, por meio do programa Agentes Locais de Inovação (ALI). “O primeiro passo foi realizar o diagnóstico do restaurante. Ele foi a base para a elaboração do plano de ação e apontou as melhorias que deveriam ser adotadas”, explica a analista do Sebrae no Pará Naiana Mainieri, gestora do ALI no estado.

O estudo mostrou dois pontos a serem trabalhados: mensurar os resultados e elaborar um plano de comunicação.  “Com o plano, viramos o jogo e tiramos o restaurante do vermelho. Definimos nosso público e criamos o sucesso da casa, que é o almoço executivo, hoje custando R$ 16,99. Também ampliamos o recebimento de vale alimentação e criamos descontos promocionais para empresas e o cliente fidelizado”, reforça.

Segundo Marcelo, com essas medidas o número de clientes mais que duplicou, diariamente. “Temos 160 clientes e vendemos perto de 60 almoços executivos por dia”, ressalta o empresário, lembrando que o objetivo é intensificar as ações de melhoria de produtos, atendimento e gestão do negócio, a partir dos resultados das pesquisas de satisfação que vem realizando e com a implantação da ISO 9001, norma da qualidade.

O jovem empresário Vitor Alves, 25 anos, comanda a área de inovação e software da Empresa Brasileira de Informática (EBI). Fundada pelo pai, Célio Alves, há 21 anos, a EBI conquistou o mercado, sendo, hoje, referência no ramo de automação, com um portfóliode 4,5 mil clientes no estado. “Crescemos uma média de 30% ao ano”, frisa Vitor. Segundo ele, esse crescimento poderia ter sido maior se tivesse percebido antes a necessidade de alguns ajustes. “O agente de inovação do Sebrae nos ajudou a ver que somos bons na área de tecnologia, mas que era preciso melhorar na gestão da empresa, principalmente nas áreas financeira e de pessoas”, destaca.

O empresário, que foi vencedor da etapa estadual o Prêmio MPE Brasil – Prêmio de competitividades para as Micro e Pequenas Empresas, na categoria Serviços de Tecnologia da Informação e destaque de Responsabilidade Social, ciclo 2013, tem planos ousados para a EBI. “A nossa meta é crescer 50%, em relação ao que somos hoje, até final de 2015”.

Destaque internacional

Os investimentos em um produto inovador rendeu à Ytchie Comércio de Peças e Acessórios, dos sócios Dilson Iamamoto e Eduardo Arima, o prêmio Stefhan Schmidheiny em 2013, promovido pelo Centro de Intercâmbio e Conhecimento, da Costa Rica, para reconhecer empreendedores sociais e seus novos e mais efetivos modelos de criação de valor.

A empresa venceu na categoria Inovação no Impacto Ambiental, por causa do BioMagnetizer, um energizador biomagnético feito de imãs de cerâmica natural que funciona com força magnética monopolar junto ao fluxo de combustível, onde organiza as moléculas para uma melhor combustão nos motores que trabalham com álcool e combustíveis derivados do petróleo. De acordo com seus fabricantes, esse dispositivo é capaz de deixar um carro até cinco cavalos mais potente, 25% mais econômico e poluir 96% menos o meio ambiente.

A empresa, que foi a única vencedora no Brasil, concorreu com mais de 450 projetos de todo o mundo, ficando entre os 22 selecionados, após as quatro etapas do prêmio. “Nem sabia que eu era um empreendedor social, por trabalhar com a despoluição, ajudando na redução de doenças”, comenta Dilson. O empresário viajou para a Costa Rica com tudo pago para receber a premiação e participar de uma oficina de empreendedorismo social.

“A premiação é o reconhecimento de anos de dedicação e investimentos de dinheiro e tempo de nossas vidas. Ela dá mais credibilidade ao nosso produto”, diz Eduardo. Segundo o empresário, o apoio de algumas entidades e instituições foi fundamental para as conquistas. “Agradecemos muito ao Sebrae, que nos tem apoiado na participação em grandes eventos, como Feira do Empreendedor e Rio + 20”, comenta.

A instituição também prestou apoio aos empresários por meio do ALI. “Apoiamos na busca de parceiros e instituições que viabilizassem o projeto, além de oferecer consultorias para o planejamento adequado da empresa”, informa a gestora do Sebrae Naiana.

Fonte: Sebrae

Como você lida com os obstáculos que se apresentam em sua vida?

Como você lida com os obstáculos que o mundo apresenta em sua caminhada? Como você recebe as oposições das pessoas, em relação a suas habilidades, ao seu potencial? Do que realmente somos capazes?

Alguns casos célebres de previsões e julgamentos do mundo que deram errado, talvez, possam iluminar estas reflexões e inspirar nossa jornada:

– Após o primeiro teste cinematográfico de Fred Astaire, o memorando do diretor de testes da MGM, datado de 1933, dizia assim: Não sabe representar! Ligeiramente calvo! Dança um pouco. Astaire conservou este memorando pendurado sobre a lareira, em sua casa.

Beethoven

Beethoven

– Beethoven segurava o violino desajeitadamente e preferia tocar suas próprias composições, ao invés de aperfeiçoar sua técnica. Seu professor julgava-o um compositor sem futuro.

– Os pais do famoso cantor de ópera Enrico Caruso, queriam que ele fosse engenheiro. Seu professor lhe disse que ele não tinha voz e que não poderia cantar.

– Um dos professores de Albert Einstein o descreveu como, mentalmente lento, insociável e eternamente mergulhado em seus sonhos imbecis.

– Louis Pasteur foi apenas um aluno mediano nos estudos do ensino fundamental. Ficou em décimo quinto lugar entre os 22 alunos de química.

– Dezoito editores recusaram a história de 10.000 palavras de Richard Bach sobre a gaivota sublime. Finalmente, em 1970, uma editora resolveu publicá-la. Em 1975, já havia mais de sete milhões de exemplares vendidos, apenas nos Estados Unidos.

Todos esses expoentes mostraram ao mundo que seu julgamento estava errado. Mostraram que somos nós apenas, na intimidade de nossa força de vontade, de nosso brilhantismo secreto, os únicos aptos para saber do que realmente somos capazes.

“Obstáculos são aquelas coisas medonhas que você vê, quando tira os olhos do seu objetivo.” – Henry Ford