Focada em ‘demolição sustentável’, Nobre Demolidora cresce 300% em 2014

Fundada há apenas cinco anos, a Nobre Demolidora, empresa que atua no setor da construção civil, tem motivos de sobra para comemorar o ano de 2014. Apesar da economia estagnada, a empresa com sede em São Paulo teve um crescimento de aproximadamente 300% no faturamento em comparação com 2013.

Com foco voltado às áreas de demolição, desmonte de estrutura, terraplanagem, terraplenagem e escavações, a Nobre Demolidora realizou mais de 30 obras no ano passado, que incluíram indústrias dos mais diversos segmentos, shopping centers e até residências.

Para se manter entre as principais empresas do setor, a Nobre Demolidora investiu mais de R$ 1 milhão na aquisição de maquinários. Também não poupou esforços em capacitar seus mais de 50 profissionais envolvidos direta e indiretamente.

“A Nobre Demolidora ainda é uma empresa nova no setor. Mas todo esse resultado demonstra a credibilidade alcançada em um curto espaço de tempo”, ressalta a diretora e fundadora Eliane Nóbrega.

Nobre Demolidora 2

Demolição sustentável

Parte desse sucesso se deve ao envolvimento da empresa com o meio ambiente e, consequentemente, com a destinação de tudo o que é retirado as obras. “Nada é descartado. Nossa demolição é sustentável”, explica Eliane Nóbrega.

Segundo a empresária, 80% dos materiais provenientes das obras, como ferro, alumínio e cobre, são reciclados e transformados em matéria-prima. Já a madeira é recuperada, transformada em novos produtos, como portas, armários e janelas, e revendida no próprio depósito da empresa.

Diante dessa preocupação, a Nobre Demolidora recebeu o Selo Verde Ouro, que demonstra que a empresa está de acordo com as normas e políticas públicas de preservação do meio ambiente.

Expansão em 2015

Diante desse cenário, a empresa projeta avanço ainda maior para 2015. Além de investir na compra de novos equipamentos, a Nobre Demolidora mira ampliar sua atuação em outros estados, principalmente no Rio de Janeiro, local onde inaugurou sua unidade no segundo semestre do ano passado.

“Sabemos que o Brasil passa por algumas indefinições no campo econômico, mas estamos bem otimistas para este ano. A empresa vem em uma crescente desde a sua inauguração. Para 2015, queremos, entre outros detalhes, duplicar o número de obras realizadas”, finaliza Eliane Nóbrega.

Anúncios

Qual a importância de um plano de metas para 2015?

planejamento

Aumentar o faturamento, lançar produtos e serviços, chegar a novos mercados, conquistar a liderança em seu segmento: essas são algumas das metas mais perseguidas pelos empreendedores.

Mas, para chegar lá, é preciso uma boa dose de planejamento. Antes de montar um plano de metas para 2015, é necessário avaliar dois grupos de variáveis: as externas (o grau de aquecimento da economia, mudanças nos hábitos de consumo dos clientes etc.) e as internas (tamanho e competência da equipe, recursos necessários, resultados da temporada atual).

Com essas informações em mãos, será possível determinar objetivos realistas e montar uma estratégia para persegui-los. “O plano indica um caminho, como se fosse um mapa. Dessa maneira, o empreendedor consegue traçar uma rota prévia e antever os obstáculos”, diz Alessandro Saade, professor do Master em Empreendedorismo da Business School São Paulo (BSP).

O que dizem os especialistas sobre isso:

“Quando enxergo para quem eu vendo (o cliente), com quem eu brigo (os concorrentes) e quem me ajuda (os fornecedores e os parceiros), consigo fazer um plano de metas para ser competitivo. É preciso sempre olhar o passado e tomá-lo como base para planejar o futuro.” — Ruy Barros, consultor do Sebrae-SP.

“O plano de metas não deve ser visto como um documento engessado. Se a meta não está sendo alcançada, o gestor tem de tomar decisões rápidas.” — Cynthia Serva, coordenadora do Centro de Empreendedorismo e Inovação do Insper.

“Recomendo estabelecer até 15 metas, sendo cinco macro e dez operacionais. Crie o hábito de verificar mensal ou bimestralmente como está o andamento de cada uma delas. Lembre-se de delegar responsabilidades aos colaboradores.” — Alessandro Saade, professor do Master da BSP.

Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Empreendedores ansiosos: muita calma nessa hora

ideia

Principalmente se ela for nova e contar com mais euforia do que com profissionais experimentados.
Daí a necessidade de se montar uma placa imensa e colocar na sala onde os novos empreendedores costumam se reunir: “Muita calma nessa hora”.

Calma para preparar nos instantes iniciais da conversa uma pauta que servirá de guia mestra para a troca de ideias que se seguirá.

Calma para ouvir até a última gota cada uma das propostas, sem as explosivas e incômodas interrupções.

Calma para apresentar suas ideias de maneira concisa e clara.

Calma para evitar as redundâncias. Se alguém já apresentou bem sua ideia, não há necessidade de você se manifestar.

Calma para, com muita gentileza, alertar algum interlocutor ou interlocutora que escorrega para fora da pauta, e chamá-lo de volta ao assunto.

Calma para respeitar e valorizar as expertises que foram agrupadas em torno de sua empresa. Até ter a chance de harmonizá-las e avançar para a consolidação do seu empreendimento.

Tanta calma para quê?

Tão importante quanto o capital investido, os talentos agregados, as instalações de sua empresa e a definição do produto e/ou serviço que você entregará ao mercado é a calma para construir artesanalmente o fluxo gerencial de sua empresa.

Porque somos, muitas vezes, vítimas de nossas necessidades e ansiedades. E temos razões de sobra. Porque os resultados estão lá no fim do mês pressionando nossa sobrevivência. Porque já falhamos algumas vezes e não podemos errar de novo. Porque nossos aliados estão impacientes.

Mesmo assim a calma na condução de cada uma das reuniões é essencial para se construir o eventual sucesso ou simplesmente desistir, antes de assumir grandes prejuízos.

É da calma em cada encontro que apreenderemos o real potencial de cada aliado. Evitando, sempre que possível, que a reunião descambe para um papo de clube de amigos, em que cada um cria uma variante própria. E, ao fim da conversa, já não sabemos mais para onde vamos e já nos esquecemos quais eram nossos propósitos.

É a calma que nos afina os sentidos. E nos ajuda a perceber a linguagem corporal, quando um sim veemente é sublinhado por uma postura desanimada, que deve ser incorporada na nossa análise global. Com calma, sempre. Com gentileza, sempre.

Porque calma não é sinal de fraqueza. Como a verborragia não se transforma em convencimento. Porque toda empresa é um processo permanente. Vivo e dinâmico que assimila, com fome, novas ideias, propostas, encaminhamentos todos os dias.

Ao organizarmos com calma as reuniões nas quais desenhamos a estratégia da empresa, nos preparamos para antecipar discrepâncias e ceder posição para ajudar a harmonizar o conjunto. Dessa maneira, o consenso será ao mesmo tempo vivo e forte. E os encaminhamentos terão como referência as discussões objetivas, porque realizadas calmamente no momento que lhes deram origem.

E ao colocar a empresa para bombar, descobriremos que a calma na tomada de decisões nos tornou muito mais fortes e determinados na busca de nossos objetivos. Poderemos, então, repetir Che Guevara: “Hay que endurecerse, pero sin perder la ternura jamás.” E todos: fornecedores, colaboradores e clientes finais nos entenderão plenamente e agirão, na prática, com determinação e objetividade.

Fonte: UOL Economia

8 tipos de franquias que são tendências para este ano

Recentemente, a Exame.com reuniu alguns especialistas para falar sobre as expectativas para 2015 no mercado de franquias. Avaliam o setor com relativo otimismo. Além disso, listaram as tendências para o ano que está se iniciando. Veja as promissoras. É mais uma dica para quem está disposta a empreender
1. Alimentação saudável
A constante busca por uma alimentação mais equilibrada e saudável tem impulsionado o mercado de negócios e franquias. Uma pesquisa nacional, feita pela Fiesp com o Ibope, mostrou que quase 70% dos brasileiros estão acostumados a ler rótulos de alimentos e 32% fazem escolhas com base nos nutrientes que vão ingerir. Hoje, muitos consumidores desejam manter uma alimentação saudável mesmo fora de casa e franquias desse ramo têm espaço para expandir.
2. Especializadas em delivery
Franquias especializadas em delivery podem crescer ainda mais no ano que vem. Segundo um levantamento feito pela Rizzo Franchise, 601 franquias de fast food adotam o delivery em suas operações e no primeiro semestre desse ano faturaram 383,4 milhões de reais, um crescimento de 9,3% em relação ao ano passado. Comodidade, fuga do trânsito e segurança são alguns fatores que podem privilegiar negócios desse setor.
3. Microfranquias de serviço
Cada vez mais, as pessoas querem ter acesso a serviços rápidos e de conveniência. Por isso, a demanda por franquias que oferecem serviços de reparos e reformas domiciliares, de jardinagem, limpeza em casas e escritórios, só deve aumentar. Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), os dados do setor em relação ao ano passado mostram que as microfranquias contribuíram bastante para o aumento do número de marcas novas no mercado.
4. Beleza
O perfil do consumidor que busca clínicas especializadas para tratamentos estéticos mudou um pouco. Hoje, tanto a mulher quanto o homem estão se preocupando mais com esses cuidados e isso também mostra a força das franquias focadas em cosméticos. Segundo dados da ABF, o segmento de beleza foi um dos que mais cresceu no ano passado e teve uma ampliação de faturamento de 23,9%.
5. Fitness
Hoje, existem redes de franquias de academias para vários nichos como mulheres e idosos. De acordo com o Sebrae, mais de 1,6 mil academias são abertas ao ano e o Brasil só perde para os Estados Unidos em quantidade de academias. Para o ano que vem, os especialistas acreditam que a busca por um estilo de vida mais saudável continuará alimentando a expansão desse segmento.
6. Serviços para idosos
Negócios ligados a cuidados para a terceira idade têm tudo para crescer ainda mais. A população está envelhecendo e a demanda por serviços especializados também. Neste segmento, as redes de cuidadores são um exemplo.
7. Produtos naturais
Também de olho nos consumidores que se preocupam em ter uma dieta mais equilibrada e com foco na saúde, franquias especializadas no comércio de produtos naturais estão em alta e só tendem a crescer. Em agosto deste ano, por exemplo, o empresário Carlos Wizard Martins, ex-dono do Grupo Multi, anunciou a compra da Mundo Verde, rede de lojas de produtos naturais e disse que quer chegar a 650 lojas, em 2018.
8. Clínicas odontológicas
A preocupação com a estética não é limitada ao rosto ou corpo. Cada vez mais, as pessoas estão investindo em tratamentos odontológicos para cuidar da imagem. Para Stockler, as franquias de clínicas odontológicas podem ganhar destaque no ano que vem porque muitas redes estão optando pela expansão por meio do franchising.

Fonte. Exame.com

 

Estudo feito pelo Sebrae aponta negócios promissores para 2015

 2015

Em 2015, a formalização de pequenos negócios no Brasil vai continuar aquecida e deve seguir a mesma tendência de 2014. De acordo com levantamento feito pelo Sebrae, apenas nos dez primeiros meses de 2014 foram criados mais de 1 milhão de empreendimentos formais no país. Esse número está próximo à quantidade de empresas criadas no mesmo período de 2013.  O estudo detectou ainda que em alguns segmentos da economia voltados para o mercado interno haverá atividades com boas perspectivas para 2015.

Entre elas estão empresas ligadas à alimentação, construção, estética e reparação de bens duráveis como automóveis que tiveram seu consumo estimulado durante o período de mais forte aquecimento da economia. Além disso, figuram entre as atividades com maior potencial para o próximo ano aquelas típicas de pequenos negócios e que independem da conjuntura econômica. Para chegar a esse resultado, o Sebrae identificou os segmentos com maior potencial de expansão nos últimos anos e os que mais tendem a se beneficiar com as tendências da nossa sociedade.

De acordo com o presidente do Sebrae, Luiz Barretto, os negócios promissores para 2015 têm uma forte característica de atender às necessidades básicas da população, que têm adquirido novos hábitos nos últimos anos. “O mercado interno cresceu muito na última década com a ascensão econômica de milhões de famílias das classes C e D. Isso gerou novas demandas e beneficiou diretamente os pequenos negócios, que oferecem serviços e produtos que foram incorporados ao dia a dia da população”, afirma.

Barretto alerta que para ter sucesso nos empreendimentos no próximo ano não basta apenas investir nas atividades com melhores perspectivas. “Não podemos afirmar que apenas quem investir nessas atividades colherá bons frutos em 2015. Há chances de sucessos para muitas outras atividades. O importante é se preparar adequadamente para a entrada no mundo dos negócios”.

Antes de abrir uma empresa, o empreendedor precisa elaborar um plano de negócios e se capacitar. Em todo o Brasil, o Sebrae oferece consultorias, treinamentos, palestras, seminários, eventos, publicações, entre outros serviços, muitos deles gratuitos. O atendimento pode ser feito presencialmente em um dos mais 700 pontos de atendimento no país ou ainda pela internet ou pelo telefone (0800 570 0800).

Confira abaixo a lista das atividades mais promissoras para 2015:

  • Preparo de alimentos para consumo domiciliar e comércio de alimentos
  • Construção, instalações elétricas, sanitárias, hidráulicas e de gás
  • Confecção e comércio de roupas
  • Cabeleireiros, atividades de estética e beleza, comércio de cosméticos
  • Bijuterias e artefatos semelhantes
  • Reparação de veículos automotores e motocicletas
  • Reparação de computadores e equipamentos de informática
  • Reparação e recarga de cartuchos para equipamentos de informática
  • Reciclagem

Dica de leitura: “Empreendedores Extraordinários”

Imagine ter a chance de conversar com um John Mackey (da Whole Foods) ou um Fred Smith (da FedEx) sobre as lições mais importantes que eles aprenderam. Ou ter o privilégio de ouvir as reflexões de Howard Schultz, da Starbucks, que voltou à empresa que originalmente fundou para reinventar a empresa e a si mesmo?

livro empreendedores extraordinários

Com este livro, o leitor terá a oportunidade de conhecer, em primeira mão, as histórias inspiradoras, conselhos valiosos e insights sobre como verdadeiros revolucionários tiveram suas ideias desestabilizadoras e as transformaram em realidade, como superaram uma variedade de obstáculos e criaram empreendimentos sustentáveis. Os relatos do autor incluem como Bernie Marcus e Arthur Blank criaram coragem para abrir a The Home Depot depois de serem demitidos de seus antigos empregos; Como a Reed Hastings transformou uma multa de $40 pelo atraso de uma locação de vídeo em uma startup desestabilizadora chamada Netflix, dentre outros.

É uma leitura inspiradora destinada para todas as pessoas que ambicionam criar algo expressivo, servindo tanto como uma celebração das realizações empreendedoras quanto como um manual prático para qualquer aspirante a empreendedor que sonha em abrir um negócio revolucionário.

Nobre Demolidora recebe Prêmio Destaque Empresarial e Comercial

A Nobre Demolidora alcançou, no final do ano passado, o Prêmio Destaque Empresarial & Comercial, que é realizado há 15 anos e tem como objetivo reconhecer empresas que se destacam no mercado pela excelência e qualidade nos serviços e produtos oferecidos em suas respectivas regiões e área de atuação. A Nobre foi destaque no segmento de demolição.

Certificado Nobre Demolidora

Os dados para pesquisa e seleção das empresas homenageadas são coletados por meio de pesquisas qualitativas e quantitativas e submetidos à rigorosa análise da equipe do Prêmio Destaque Empresarial, onde são selecionados clientes, fornecedores e empresas referências em seu respectivo segmento de atuação, levando-se em consideração a tradição e a qualidade dos serviços e produtos oferecidos.

“É um diferencial competitivo e um aval mercadológico que traduz o reconhecimento e respeito que a empresa tem para seus clientes, fornecedores e colaboradores, valorizando ainda mais a mEliane Nobregaarca e a imagem da organização perante os consumidores, mercado e a mídia. É gratificante ver seu trabalho ser reconhecido e isso me dá mais força para seguir em frente e chegar cada vez mais longe”, comemora a empresária Eliane Nóbrega.

Fundada em 2010. a Nobre Demolidora atua nas áreas de demolição, desmonte de estrutura, terraplanagem, terraplenagem e escavações. Além disso, mostra-se preocupada com o meio ambiente e, consequentemente, com a destinação do material proveniente dos serviços realizados. O esforço é para que haja o maior proveito possível, e, assim, os materiais retornem ao mercado da construção civil.

Como descobrir quem é o cliente do seu negócio

O que você sabe sobre seu cliente? Um dos grandes desafios de qualquer empreendedor é conhecer quem é o seu cliente. Como ele pensa, do que gosta, o que fará com que ele compre mais vezes na sua empresa. Essas são apenas algumas das questões e dilemas de todos que disputam a preferência do cliente.

pesquisa

Uma das mais tradicionais técnicas é a pesquisa de mercado. Para saber quem é seu cliente, basta perguntar a ele. Elabore um questionário de pesquisa ou roteiro de entrevista, definindo algumas questões-chave. Este tipo de recurso, porém, deve considerar a falta de tempo dos clientes. Assim, quanto menos perguntas elaborarmos, maior a possibilidade de retorno.

Contrapondo este tradicional método, entende-se que muitas vezes nem mesmo o cliente sabe o que ele quer. Ou então, a resposta dada no momento da pesquisa representar apenas aquele momento, mas não necessariamente uma opinião.

Outra sugestão que pode trazer mais algumas peças para seu quebra-cabeça é a pesquisa dos chamados dados secundários. Esses dados são os já pesquisados por algum instituto ou organização de determinado segmento de mercado.

Alguns mercados são ricos em dados já coletados e a busca por estas informações, além de exigir apenas o investimento de seu tempo para a procura, certamente contribuirá para entender um pouco mais seu cliente.

Agora, além dos métodos comentados, gostaria de sugerir também a pesquisa a partir da observação, que pode ser realizada analisando como seu cliente se comporta no ponto-de-venda. Por exemplo: quanto tempo fica na loja, qual o percurso que realiza, quais itens observa, como faz a análise de cada produto, quantas vezes por mês frequenta sua loja, se está acompanhado ou sozinho, e qual a influência dos acompanhantes.

Vejam que não tem muito segredo. Com o verdadeiro interesse por entender e conhecer cada vez mais seu cliente, basta começar esta viagem. A cada compra, cada contato e visita, podemos saber um pouco mais sobre ele.

Toda essa busca por novas informações garantirá que você conheça ainda mais seu cliente e, possivelmente, mais do que seu concorrente sabe hoje.

Fonte: Exame

15 frases que você nunca vai ouvir de pessoas bem-sucedidas

Se você deseja se tornar um empreendedor com uma carreira de sucesso, um bom começo é cultivar o hábito de pensar e dizer coisas como se já fosse uma pessoa bem-sucedida, assim como evitar ideias que podem trazer significados negativos. Aqui vão algumas frases publicadas pelo portal Entrepreneur que você nunca vai ouvir destes empresários:

  1. “Não podemos fazer isso”
    Um aspecto que leva pessoas e companhias ao sucesso é a habilidade de encontrar solução para problemas cotidianos e demandas prioritárias. Como é uma necessidade que aparece repetidamente, as pessoas de mais sucesso aprendem como resolver conflitos o mais rápido que podem.
  2. “Eu não sei como”
    Em vez de buscar soluções instantâneas, pessoas de sucesso aprendem o máximo que podem em todos os projetos de sua carreira. Por exemplo, você nunca verá um consultor de negócios que viaja diversas vezes do ano à Itália se recusando a aprender a falar italiano.
  3. “Eu não sei o que é isso”
    Evocar ignorância não faz o problema desaparecer. Pelo contrário, só faz com que a pessoa que questionou busque uma outra alternativa para a solução de seu conflito. Embora seja sempre melhor ser honesto com quem você se relaciona, terminar esta frase com “mas eu vou descobrir” é com certeza uma forma mais certeira de alcançar o sucesso.
  4. “Eu fiz tudo sozinho”
    Os melhores empreendedores sabem se cercar de pessoas inteligentes, espertas e dedicadas como eles. O que faz a parceria funcionar é sempre dar o crédito quando ideias surgem em grupo. Reconheça sempre aqueles que o ajudaram ou tiveram impacto e você continuará recebendo sucesso e reconhecimento pessoal.
  5. “É muito cedo”
    Você nunca ouviria Benjamim Franklin ou de alguém como Steve Jobs dizer que “é muito cedo para estar lá”. Se é um encontro de negócios, o lançamento de um projeto ou uma entrevista para uma nova oportunidade bem no início do dia, as pessoas bem-sucedidas fazem o que podem para estar lá. Parte de ter sucesso é estar no lugar e na hora certas, não importa se você é um pássaro da manhã ou uma coruja noturna.
  6. ”É muito tarde”                                                                                                                                     Pela mesma lógica, se você é convidado por um eventual parceiro de negócios para um jantar às 21h ou mais, compareça. Você pode estar exausto no dia seguinte, mas as conexões que fará podem surtir efeitos muito positivos para sua carreira ou para novos projetos.
  7. “É muito ruim não trabalharmos juntos”
    Ter sintonia com outras pessoas no ambiente de trabalho é uma ocorrência rara, mas se você realmente se conectar com alguém e quiser trabalhar com ele, encontre uma maneira de fazê-lo funcionar.
  8. “Vamos nos encontrar um dia”
    Muitas vezes, essa frase é dita sem a menor intenção de se concretizar. Pessoas de sucesso, quanto realmente querem se encontrar com alguém, vão fazer acontecer. Empresários bem-sucedidos trabalham duro para construir conexões genuínas com seu network.
  9. “Me desculpe, estou muito ocupado”
    Se uma oportunidade passa pelo caminho, pessoas bem-sucedidas fazem o que podem para que elas aconteçam. Claro, isso pode implicar em muitas horas de trabalho. Mas se você leva a prosperidade a sério, é assim que deve ser.
  10. “A ideia foi toda minha”
    Novamente, como mencionado no item 4, pessoas que são referência no que fazem espalham elogios a parceiros de trabalho em um projeto de sucesso. Nenhuma ideia é verdadeiramente única, mas sim uma reunião de experiências resultantes de interações e construções de um time. Dividir o mérito é parte crucial da construção de cultura de sucesso de uma companhia.
  11. “Eu nunca leio livros”
    Estudos comprovam que pessoas ricas leem (e ouvem) livros em um índice mais alto que as pessoas pobres: 63% dos pais ricos orientam seus filhos a lerem dois ou três livros de não-ficção por mês, enmquanto 3% de pessoas pobres o fazem. Ler não-ficção pode ajudar a reduzir o stress, melhorar a criatividade e potencializar a memória.
  12. “Eu não sou bom o suficiente”
    Parte de ser bem sucedido é ter autoestima. Ser você mesmo é uma promessa de sucesso nos negócios e na vida pessoal. Siga seus verdadeiros interesses.
  13. “Está tudo bem”
    Pessoas de sucesso sabem quando seguir seu caminho e parar de pedir desculpas para outras. Se há um gargalo ou alguém o alertando repetidas vezes sobre completar um projeto no tempo certo, construir negócios ou seguir adiante em seus objetivos, é hora de definir prioridades e decidir seu limite de envolvimento.
  14. “Se a nossa concorrência não tem isso, não precisamos ter”                                           Copiar a concorrência é uma das muitas possibilidades de morte de muitas companhias. A verdadeira inovação vem do lado oposto: perceber o que a concorrência não está fazendo e preencher este nicho com sua produção.
  15. “Tempo livre é para idiotas”                                                                                                                 O verdadeiro sucesso é composto também por fins de semana com amigos e família, horas de ócio em dias de semana e férias programadas. Tirar folgas para descansar podem deixar você mais produtivo no trabalho.

Fonte: Estadão

Os hábitos do empreendedor eficaz

No livro Seis Propostas para o próximo milênio de Ítalo Calvino, o autor procura demonstrar quais valores literários mereciam ser preservados no curso do próximo milênio.

Neste artigo, é feita uma analogia com o trabalho nas empresas. Conheça os seis valores:

1 – Leveza

As constantes demissões no Brasil tornaram as estruturas das empresas mais enxutas, mais leves. O profissional que continuou empregado só teve sua carga de trabalho aumentada. A disputa por uma vaga chegou a nove candidatos. Além disso aumentou o grau de exigência das empresas. O perfil exigido por uma indústria em recente anúncio classificado, pode ser assim resumido: 2o. grau completo, experiência anterior e curso técnico.

O resultado geral é a desqualificação e exclusão da grande maioria dos trabalhadores brasileiros para enfrentar esta nova realidade. Por outro lado é uma grande oportunidade para quem pensa em ter seu próprio negócio.

2 – Rapidez

O avanço da tecnologia possibilita que os acontecimentos em uma distante cidade do Leste Europeu sejam conhecidos quase ao mesmo tempo em várias partes do mundo.

Os computadores estão interligando Ocidente e Oriente em segundos, com transações comerciais jamais imaginadas.

Com mudanças tão rápidas e constantes haverá necessidade de treinamento e reciclagem constantes, pois produtos, mercados e consumidores também estarão em constante mudança. Esta flexibilidade é característica das pequenas e médias empresas.

3 – Exatidão

A variedade de empresas e produtos no mercado fará com que as empresas sejam mais precisas no atendimento às reais necessidades e expectativas dos seus clientes. Estruturas menores tendem a personalizar os serviços e deixar os clientes mais satisfeitos.

4 – Visibilidade

O estímulo da concorrência com uma variedade de ofertas e preços mais baixos deverá fazer com que os profissionais de marketing e vendas sejam mais ouvidos dentro das empresas.

A comunicação com o cliente passou a ser fundamental para desenvolver novas técnicas e formas de vendas, garantindo assim a manutenção dos clientes e a conquista de novos clientes, antes que a concorrência, agora globalizada, o faça.

Por isso, o empreendedor do futuro tem que ter visão global, mas, porém, todavia,contudo, aplicação mais do que nunca local.

5 – Multiplicidade

Após décadas de turbulências e planos econômicos, o empreendedor brasileiro já tem capacidade de desenvolver análises macro e microeconômicas de fazer inveja aos ex-ministros da economia. Pois nada melhor que o dia-a-dia da economia brasileira para tornar “vendedores de rua” em especialistas em formação de preços.

O futuro indica a busca cada vez mais intensa da satisfação do cliente e, embora se chamem cada vez mais os especialistas, são os generalistas que estarão se utilizando dos amplos conceitos da administração moderna, para fazer o empreendimento crescer e ter lucro.

6 – Consistência

Infelizmente, aos 62 anos Italo Calvino faleceu e não desenvolveu este tema. Ficou para a imaginação dos leitores a conclusão do artigo a partir das informações anteriores.