7 dicas para quem quer conciliar emprego e o próprio negócio

empreendedoraAlguns funcionários estão insatisfeitos com o emprego e não veem a hora de ter o seu próprio negócio, mas têm medo da instabilidade financeira. Já outros adoram o que fazem, mas querem ter um empreendimento para complementar a renda.

Seja qual for o caso, a dúvida é a mesma: dá para conciliar o negócio próprio com o trabalho diário em uma empresa? Para especialistas, isso é possível, mas exige um esforço ainda maior.

Um dos benefícios é o fato de você já ter uma fonte de renda, que serve tanto para o investimento inicial quanto para manter a operação do futuro negócio, diz a professora Leticia Menegon, da Incubadora de Negócios da ESPM. O professor Marcos Martins, do Ibmec-RJ, ressalta como ter esse “colchão” é um elemento a mais para poder se planejar com calma.

Já os pontos negativos de ser empreendedor e funcionário vão além do estresse e do sacrifício do lazer. Para Leticia, a efetivação e operacionalização da empresa vai demorar mais e você pode perder o timing com o concorrente. Já para o consultor do Sebrae, Marcelo Sinelli, sua curva de aprendizagem sobre o setor será ainda mais longa.

Quer conciliar trabalho e negócio próprio? Veja se você tem o que é preciso:

1. Tenha paixão pelo empreendimento

Ter iniciativa para manter o empreendimento é ainda mais difícil quando você não é apaixonado pela ideia. “A pessoa se dedica ao que ela gosta, porque arranja a energia necessária para lidar com o trabalho. Se é para tocar alguma coisa em paralelo, toque alguma coisa que você goste”, aconselha Sinelli.

2. Invista em organização e eficiência

Para conciliar negócio próprio e trabalho, você tem que saber fazer várias coisas ao mesmo tempo sem se estressar. Segundo Leticia, o futuro empreendedor deve conversar com outras pessoas e analisar os feedbacks no trabalho: se ele já não dá conta nem das suas atividades na empresa, deve repensar a ideia de ter um negócio.

Já Sinelli ressalta que é preciso otimizar o tempo ao máximo e que a necessidade do negócio não deve ser subestimada. “Você tem que afiar muito mais o machado do que alguém que se dedica integralmente”, diz.

3. Faça um planejamento

O negócio não nasce do nada, diz o professor Martins. A fase de planejamento serve para que o empreendedor veja quanto de tempo e dinheiro deverá ser investido. Isso inclui, segundo ele, fazer pesquisas de mercado, viajar para contratar empresas e evitar determinado fabricante.

Para o consultor Sinelli, “quando o problema surge, o empreendedor em tempo integral já resolve na hora. Para quem concilia negócio e trabalho, o problema só será atacado quando der: no final da noite, no final de semana. O planejamento deve ser muito mais minucioso”.

4. Não se esqueça da ética

“Um grande obstáculo é a capacidade que a pessoa vai ter de separar os dois mundos. O empreendedor tem que lembrar que, enquanto trabalha as oito horas diárias, ele tem que se dedicar àquele tempo. Não pode usar para benefício próprio. É antiético”, diz Martins.

Já Leticia recomenda uma conversa franca. “É sempre importante conversar com o seu chefe e falar que você está abrindo sua empresa, além de assegurar que sua produção não irá diminuir com o novo negócio. Não deixe o chefe descobrir pelos outros”, explica.

5. Faça (e mantenha) contatos

Segundo o consultor Sinelli, você deve trabalhar de uma maneira inteligente e se cercar de pessoas que ajudam seu processo a caminhar. Se você não pode trabalhar com funcionários, faça parcerias, tenha uma rede de contatos muito bem estruturada e encontre gente que resolva os problemas da sua empresa. “Quando você se dedica aos dois, trabalho e negócio, você não deve ficar muito tempo procurando, mas já ter contatos na mão quando precisar”.

Já Martins ressalta que os contatos não dizem respeito só ao seu negócio. “Como manter isso de uma forma aceitável, profissional, sem que um trabalho toque no outro? Você precisa se relacionar bem com as pessoas envolvidas nesse novo negócio e se envolver também com a empresa onde está empregado”.

6. Treine adequadamente e confie nos outros

É fato que você não estará disponível para o seu negócio durante todo o dia. Por isso, talvez seja necessário treinar pessoas e terceirizar tarefas.

“Você vai ter que capacitar e confiar nas pessoas que estão à frente, e abrir mão de alguma gerência e da liderança ao longo do dia”, diz Martins. Ele também recomenda que, mesmo com o conforto de um emprego e de uma renda mensal, o empreendedor busque ajuda com consultores e com órgãos como o Sebrae.

7. Tenha muita disposição

Ter duas atividades vai requerir um cuidado com a saúde física e emocional. “Não ter isso pode acabar atrapalhando todos os seus trabalhos”, adverte Martins.

Para Sinelli, sua empresa só decola quando você cuida do negócio, e não dá para ficar esperando a empresa dar certo para investir seu tempo nela. “Conheço muitos que passaram por essa situação de trabalhar e ter um negócio e foram bem sucedidos, mas tem que ter muita vontade, ainda mais do que competência. Vai abrir mão do final de semana, da balada, de muitas coisas”, recomenda.

Fonte: Exame

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s