Reflexão: Persiga o seu sonho mesmo que ninguém o incentive

empreendedora“Sempre que você tenta implementar mudanças positivas em sua vida, você vai experimentar algum tipo de resistência. Às vezes, a resistência é interna, o que significa que você precisa superar a si mesmo.

Acordar mais cedo para ir para a academia pode ser bem chato. É muito mais fácil apelar para o soneca do seu despertador. Da mesma maneira, é difícil recusar uma pizza, ou sanduíche quando estamos no meio de uma festa com amigos de trabalho. Isso nos dá uma agonia.

A mesma coisa acontece quando decidimos começar um negócio. Às vezes você coloca tantos obstáculos em sua vida que você esquece o motivo porque você queria começar as coisas. Essa é a resistência interna à mudança. Normalmente esse tipo de resistência é realmente um bom sinal.

Isso significa que você está mudando. Mas junto com essa resistência, você também vai enfrentar alguma resistência externa das pessoas que estão ao seu redor. Desde seus pais lhe dizendo para ser realista, até mesmo as críticas por conta de suas escolhas. Isso é algo que vai acontecer durante as escolhas que você faz em sua vida.

Seus colegas de trabalho, por exemplo, querem apenas que você esteja satisfeito por ainda ter um emprego. Ainda mais nessa época de crise. Para alguns amigos, suas decisões são sem propósito, ou então, muitas vezes, eles nem têm tempo para ouvir o que você tem a dizer. Não se incomode com isso.

Tudo isso é resistência externa. Se você deixar as pessoas afetarem suas decisões, os resultados podem ser desastrosos. Aqui está a verdade: as pessoas que criticam você, ou que duvidam de você, ou que diminuem você não compreendem o seu por quê.

Elas não entendem suas paixões, sonhos e desejos, e o motivo delas serem tão importantes para você. E isso é normal. É perfeitamente normal viver uma vida que outros não entendem.

É perfeitamente normal escolher uma carreira que é anormal. É perfeitamente normal ficar acordado a noite toda, trabalhando em algo em que você se preocupa, mesmo se não for resultar em dinheiro nesse momento.

É normal ser freak, desajustado, ou até mesmo proscrito. A única coisa que não é normal é desistir de sua personalidade única ou esconder seus talentos porque alguém lhe envergonhou diminuindo o seu potencial. Então, hoje, saia e viva a vida do seu jeito. No tempo certo, todas as pessoas que zombaram de você, vão perguntar como você conseguiu.

E tudo que você vai ser capaz de fazer é sorrir.”

Fonte: Jornal do Empreendedor

Os 7 passos para colocar seu sonho grande de pé

Dias, atrás, tive a oportunidade de ler o prefácio escrito por Beto Sicupira, um dos principais executivos desse país, para o livro #VQD no site da Endeavor Brasil. No material, Sicupira fala sobre os sete passos para você colocar seu sonho grande de pé. Dê uma lida no texto e inspire-se para transformar seu sonho em realidade. Boa leitura!

empreendedora

“Há 15 anos apoio a Endeavor a disseminar no Brasil a ideia de que empreendedores precisam de sonhos grandes para avançar com seus negócios e entregar valor para a sociedade. Fico muito feliz de ver que essa etapa do trabalho foi concluída com êxito: o conceito do sonho grande colou e temos um número cada vez maior de pessoas dispostas a empreender com alto impacto no país.

As historias que você lerá nas próximas páginas mostram, no entanto, que ter um sonho grande não basta. A capacidade de execução e de botar pra fazer do empreendedor, tirando do papel aquela visão que foi vendida para todos, é tão ou mais importante do que o sonho em si. Se o sonho é o que tira o empreendedor da cama e contagia as pessoas, são os pequenos passos que o transformam em realidade.

Pensando nisso, gostaria de dividir com você alguns pensamentos, resultado de experiência própria e observações, que podem servir a quem quer construir alguma coisa grande.

1. Arranje alguém para te ajudar

Sozinho você não vai conseguir nada. Para aumentar suas chances, é preciso escolher os parceiros certos e que complementem as suas fraquezas. Divida com os outros para ter mais bases para multiplicação. E não se esqueça que as pessoas valem pelo que fazem e não pelo que conhecem ou como se apresentam.

2. Desenhe um mapa do caminho para chegar lá e divida-o em pedaços

Acho que o melhor é olhar para diferentes horizontes de tempo: o de 10 anos é o sonho grande, uma referência para dar energia para você e seu time; o de 3 anos é o business plan, que serve para ter um caminho; e o de 1 ano é o orçamento, que vai dizer o que você precisa fazer amanhã.

3. Faça as pequenas coisas bem feitas, tenha paixão pela excelência

As grandes empresas são sempre a soma de um milhão de pequenas. Cuidar dos detalhes vai permitir você fazer o grande bem feito. Isso é um hábito que precisa ser cultivado sempre.

4. Ao crescer, nunca deixe seu negócio virar uma empresa grande

A empresa grande é aquela onde não se perde tempo com coisas pequenas ou detalhes, mas o negócio bom e grande é feito de um milhão de detalhes! Depois de um certo tempo as ações de grande impacto vão começar a rarear e você dependerá da soma de muitas pequenas coisas para ter algum impacto. No fim do dia, despesa e investimento são literalmente iguais. Lembre:-se se você não fizer isso e nem der valor, ninguém de sua empresa o fará.

5. Prepare-se para falhar e continuar insistindo

Você vai errar. Por isso, erre rápido, seja original nos erros e aprenda a lição para que os mesmos erros não voltem a acontecer. Conserte logo, e se precisar, mude a estratégia: muitos negócios de sucesso planejavam ser outra coisa ao iniciarem e souberam mudar.

6. Copiar é a maior inovação

Temos uma grande vantagem ao começar um negócio no Brasil. No nosso mercado, podemos copiar melhorando uma iniciativa que já existe em economias mais maduras. Por isso, antes de inovar, veja se não dá para copiar: pesquise outras indústrias e outros países e traga o que você aprender para a sua. Se não tiver jeito, invista em pesquisa e desenvolvimento, mas suas chances serão mais remotas. Tenha orgulho de copiar, melhorando coisas que já existem!

7. Gaste menos que seus concorrentes e trabalhe mais que eles

A paixão pela excelência o levará a ser o mais produtivo da sua indústria, mas cuidado! Não se compare com sua concorrência, ou no máximo você será só um pouquinho melhor do que eles.

E, por último: lidere por seus exemplos e não por suas palavras. O seu legado como empreendedor está nas coisas que você fizer todos os dias para transformar seu sonho grande em um negócio que emprega pessoas, paga impostos e contribua para o desenvolvimento do país.”

Fonte: Beto Sicupira – prefácio extraído do livro #VQD – Endeavor Brasil

5 dicas para mães que querem empreender

empreendedora mãeO site Pequenas Empresas & Grandes Negócios fez, recentemente, uma interessante matéria direcionada às mães. Muitas descartam o retorno ao trabalho e pensam em aproveitar a maternidade para empreender. A reportagem ouviu as coaches Amanda Rocha e Lucia Stradiotti, da Mom’SA, empresa de coaching e consultoria para mamães e futuras empreendedoras. Foram listadas 5 dicas para quem pensa em deixar a carreira de lado e se dedicar a um negócio próprio.

1. Comece mesmo com a rotina caótica

Para Amanda e Lucia, é impossível esperar o melhor momento para começar a empreender. Por isso, comece antes de ter certeza mesmo. “Quem fica esperando o momento perfeito pra começar pode nunca dar o primeiro passo, porque nenhum momento vai ser 100% perfeito”, diz Amanda.

Além disso, não espere estar tudo perfeito para divulgar. Para as especialistas, é importante começar com o que tem disponível. Se você não pode pagar por um site, faça um blog de graça.

2. Busque conhecimento

Pesquise a área que pretende atuar e tente estar sempre por dentro das novidades. Cursos, palestras, workshops, livros, congressos, eventos e redes de mães empreendedoras podem ajudar. “Busque uma fonte confiável e a forma como prefere aprender e aprofunde-se”, afirma Lucia.

3. Aceite ajuda e delegue

Não é preciso ser uma super-heroína para conciliar a própria empresa e a família. Para as coaches, é importante saber pedir ajuda quando for preciso. Isso vale para a empresa, para a casa e os filhos. “Há coisas que você vai fazer melhor do que outras pessoas e são nessas que você deve investir seu tempo”, diz Amanda.

4. Organize o tempo

Dividir bem o tempo é uma das tarefas mais complexas. No home Office, as coisas podem ficar ainda mais difíceis. Para as especialistas, o ideal é determinar horas de trabalho, enquanto o bebê dorme, por exemplo.

Outra dica é ter uma agenda. Faça uma lista com todas as tarefas que tem, sejam elas de curto, médio ou longo prazo. Distribua as tarefas durante a semana por ordem de prioridade. É importante ser realista e para não ficar frustrada por não conseguir terminar as tarefas.

É importante também estar focado. Algumas ações vão roubar a atenção durante o dia e manter o foco é essencial. “A desorganização, por exemplo, é um dos grandes desperdiçadores de tempo. Procrastinação também é um grande vilão”, diz Lucia.

5. Faça pausas e não tenha medo de errar

Faça pausas estratégicas para desacelerar. Paradas de 20 minutos a cada uma hora e meia de trabalho podem fazer toda diferença. “Você consegue se concentrar melhor e aproveita as pausas para esticar o corpo, alongar, comer e beber água”, diz Amanda.

Para as sócias, é importante que cada empreendedora encontre sua forma de relaxar. “É importante você achar um esquema que funcione pra você. E tanto na vida pessoal como em nosso negócio temos de ter abertura para imprevistos, e ter flexibilidade”, afirma Lucia.

Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Dica de leitura: “Introdução ao empreendedorismo”

livro introdução ao empreendedorismoO objetivo do livro de César Salim é desenvolver uma atitude empreendedora em seu leitor. O livro levanta questões essenciais sobre a forma como os empreendedores atuam e quais as características do comportamento empreendedor, analisando de que forma esta nova atitude proativa pode contribuir para a realização de sonhos, de objetivos, de negócios e de empreendimentos de caráter social.

Título: Introdução ao Empreendedorismo
Autores: Cesar Salim
Editora: Editora Elsevier
Páginas: 272

10 dicas de como empreender na crise

No final de agosto, o site Jornal do Empreendedor fez uma matéria sobre conselhos de como empreender na crise. Ouviu especialistas e apresentou 10 dicas. Leia e reflita. Isso ajudará muito seu dia a dia diante de um preocupante cenário da economia brasileira.

negócios empreendedora

Acreditar no próprio negócio

Começar o próprio negócio pode dar um frio na barriga no primeiro momento, mas é preciso persistir e acreditar no empreendimento, diz Tiago Delgado, sócio-fundador da plataforma Medicina Direta, especializada em gestão de clínicas. “Os produtos e serviços que sobrevivem a crise são aqueles em que o empreendedor acredita. É fundamental acreditar na empresa e prepará-la para a chegada do cenário econômico favorável”, afirma Delgado.

Entender o mercado e a sua ideia

Não é possível criar o seu próprio negócio sem antes entender a sua viabilidade e aceitação no mercado, diz André Pontual, sócio-fundador da NoBeta, startup especializada em segmentação de anúncios. “O primeiro ponto é entender a sua ideia, medir o tamanho do mercado, as possibilidades de aplicação e qual é a forma mais rápida de fazer o seu negócio começar a dar dinheiro”, afirma Pontual.

Resiliência ao longo do caminho

Nessa nova etapa, adversidade serão enfrentadas. Mas nem por isso o empreendedor deve desistir, avalia Guillermo Reid, CEO e cofundador da desenvolvedora de soluções tecnológicas para seguradoras WDEV. “Empreender requer otimismo para os ‘nãos’ ao longo do caminho. É preciso ser adaptativo, ágil, pensar fora da caixa. Em momento de crise como este é preciso focar os investimentos no que de fato importa , fazendo o mínimo possível para que o modelo de negócio gire”, afirma Reid.

Estude a concorrência e os clientes

Requisito básico para qualquer empreendedor é conhecer a sua concorrência e como fidelizar os seus clientes, avalia Augusto Lins, diretor da adquirente de meios de pagamentos Stone. “Conheça os pontos fortes e fracos dos concorrentes e as oportunidades e ameaças que seu negócio irá enfrentar com a competição”, diz Lins. “Atenda seu cliente da melhor forma possível. Coloque ele em primeiro lugar. Você só fideliza o cliente quando cria um relacionamento com ele”, complementa o executivo.

Planejamento do negócio

Em momentos de baixa da economia, planejar as despesas e reduzir os custos ao máximo é essencial, de acordo com Felipe Cataldi, sócio-fundador da plataforma de gestão para empresas de comércio eletrônico Betalabs. “Foco em execução é essencial pra fazer o negócio andar, porém o empreendedor não pode se perder nos problemas diários e deixar de pensar no crescimento da empresa. Sem planejamento e visão de futuro a empresa pode estagnar”, avalia.

Imóvel e equipe

Caso o empreendedor possua capital para alugar uma sala comercial e contratar colaboradores no início do negócio, o momento de crise pode ajudá-lo nessa empreitada, diz Tiago Delgado, da Medicina Direta. “Em momentos de depressão econômica os aluguéis comerciais tendem a cair de preço. Com isso pode ser um bom momento para conseguir uma boa localização”, afirma o empreendedor. “Outro fator que pode ajudar em momentos de crise é a contratação da equipe. Com a economia patinando, normalmente o acesso a talentos e mão de obra se torna mais fácil”, complementa.

Acompanhe os números

A partir do momento que o pontapé inicial no negócio foi dado, é preciso acompanhar os resultados para avaliar o andamento do empreendimento. “Meça e conheça sua operação no detalhe. Seja obcecado por saber o resultado e retorno de cada ação que sua empresa faz”, diz Augusto Lins, da Stone.

Considere o investimento inicial

Para quem resolver criar o seu próprio após sair ou perder o emprego, é preciso considerar que todo custo inicial do empreendimento virá do próprio bolso, alerta André Pontual, da startup NoBeta.

“Uma vez desempregado, as condições de empréstimos diminuem consideravelmente e as necessidades financeiras da empresa – dos custos de abertura de uma empresa ao aluguel – sairão do seu bolso”, diz. “Por experiência própria posso dizer que o gasto muito superior ao esperado não é falta de organização. Faz parte das necessidades do dia a dia de uma empresa, das quais não temos como fugir por mais que gostaríamos”, resume Pontual.

Escolha bem os sócios

Empreender nem sempre pode ser uma opção individual e muitas vezes somar forças pode ser uma boa opção. Mas é preciso ter cuidado, diz Felipe Cataldi, da Betalabs. “Recomendo a todos encontrar aliados, pois diferentes perfis complementares geram uma enorme sinergia que traz insights mais assertivos para o negócio”, afirma.

Não tenha medo de errar

No começo do empreendimento poderão ser cometidos falhas até acertar o ponto certo. Portanto, estar sujeito a erros é normal para qualquer negócio e todos devem ser considerados, avalia Augusto Lins, da Stone. “Não tem problema errar. Como diz a máxima, é errando que se aprende. Tolice é cometer o mesmo erro novamente. Aproveite as falhas para aprender e corrigir processos”, afirma.

12 segredos da comunicação que, talvez, você nunca ouviu falar

comunicação empreendedoraEu gosto bastante de ler. Aprendi muita coisa . E, dias atrás, vi um artigo muito interessante no site Jornal do Empreendedor . O material abordava sobre um detalhe, às vezes, deixado de lado entre pessoas bem sucedidas: a comunicação. No texto, e eu concordo com isso, diz que o que torna uma pessoa melhor do que outras é, em muitos casos, habilidades de comunicação pouco conhecidas.  O site listou 12 mais valiosas. Veja quais são:

1. Conecte-se com si mesmo

Para ser um grande comunicador, você deve primeiro saber quem você é e ter confiança em si mesmo e em sua capacidade de se conectar com os outros.

2. Fale com sinceridade

Nada é mais eficaz do que ser sincero quando você se comunica, e nada é mais importante. A sinceridade é a base para uma conexão.

3. Seja consistente

Viva a sua mensagem e pratique aquilo que você prega – você terá um maior alcance e pode gerar mais influência. Sua credibilidade vem da consistência do seu caráter.

4. Esteja conectado com as pessoas

Quando você se comunica, você quer que as pessoas naturalmente entendam o que você está dizendo, mas a verdadeira comunicação envolve se conectar com as pessoas. Você está aprendendo com os outros, não apenas falando com eles.

5. Ouça verdadeiramente

Escute o que as pessoas estão dizendo. Isso não apenas vai lhe dar mais detalhes sobre o que está sendo discutido, como também mostrar respeito e construir conexões.

6. Olhe além das palavras

Não gaste o seu tempo se preparando mentalmente sua próxima resposta. Em vez disso, faça perguntas para esclarecimento e para ter certeza de que você entende completamente o que a outra pessoa está querendo dizer.

7. Mostre respeito

Todos, não importa em que posição ou função estão, merecem ser tratados com respeito. Por ser respeitoso, você irá definir o tom de sua liderança e a maneira como você gostaria que as pessoas falassem sobre você. Respeito gera respeito.

8. Conecte-se para identificar

Tente se conectar verdadeiramente com os outros e encontrar uma maneira de se relacionar com eles. Trabalhar com os outros é uma forma eficaz de desenvolver uma maior compreensão.

9. Saiba perguntar

Uma das formas mais eficientes da comunicação é fazer perguntas. A capacidade de fazer perguntas hábeis e ouvir atentamente respostas é um grande fator de comunicação.

10. Tenha interesses autênticos

Uma coisa é se comunicar com as pessoas, porque você acha que tem algo a dizer, mas ainda é melhor se comunicar come eles porque você acredita que as pessoas têm algo a dizer.

11. Cuide de sua linguagem silenciosa

Sua postura e tom de voz também podem desempenhar um papel. Nosso corpo fala mais alto que nossas palavras, e às vezes podem transmitir uma mensagem de que não temos a intenção de comunicar.

12. Trafegue em 2 sentidos

A comunicação nunca deve ser um monólogo. Os melhores líderes criam um diálogo, ouvindo e convidando outras pessoas a se expressarem. Quando você aderir aos segredos de comunicação dos grandes líderes, você pode começar a desenvolver relações fortes, reunir informações importantes, e aumentar a sua compreensão de si mesmo.

5 dicas para atrair clientes em momento de incertezas econômicas

empreendedoraEstamos em um momento de crise. Juros alto, dólar a quase R$ 4, entre outros detalhes que provocam uma desaceleração na economia. Mas você precisa vender. E, para isso, é necessário atrair os clientes. E a pergunta é: como atrair o consumidor nesse cenário de incertezas?

O site Pequenas Empresas & Grandes Negócios foi ouvir especialistas sobre uma das principais preocupações de cada empreendedor. E fez uma lista com 5 dicas essenciais para conquistar os clientes. Veja quais são:

1. Descubra qual é a sua proposta de valor. É preciso identificar o que o seu produto ou serviço oferece ao seu cliente e o que o diferencia da concorrência.

2. Clima organizacional. Responda com toda a franqueza: é prazeroso trabalhar em sua loja ou em sua companhia? Os clientes percebem quando funcionários trabalham satisfeitos. Para a equipe de vendas essa satisfação faz toda diferença na hora de vender.

3. Estabelecimento de metas e busca de resultados: toda equipe de atendentes, bem como de profissionais de vendas precisa trabalhar com referências em metas alcançáveis e ao mesmo tempo desafiadoras, embora flexíveis.

4. Trabalhar com coleta de informações permanentemente: todo negócio deve manter um banco de dados de clientes e, sobretudo, observar os “fatos novos” que ocorrem em suas vidas. Por exemplo, o nascimento de uma criança na família, a mudança de estado civil, a taxa cambial, entre outros.

5. Manter relacionamento com clientes por meio de mídias sociais: Facebook, Instagram, Whatsapp e até mesmo os hangouts – através dos quais se pode fazer vídeo-conferência a custo zero -, são recursos que devem ser utilizados, de forma profissional, para poder gerar relacionamento com clientes e mantê-los ativos por maior tempo.

5 conselhos para as mulheres vencerem no empreendedorismo

 No dia 1º de setembro, durante o Fórum Empreendedoras, que fez parte do Women Vendor Exhibition and Forum, algumas mulheres de sucesso falaram sobre suas trajetórias. E o site Pequenas Empresas & Grandes Negócios fez uma matéria com cinco conselhos extraídos de duas grandes empreendedoras: Manuella Curti e Fabiana Franceschi.

A primeira se viu com uma empresa para administrar após a morte do pai e do irmão, que tocavam o negócio da família, a Filtros Europa. Já Fabiana produzia artesanatos de fibra de vidro quando um empresário pediu que ela fizesse ossos sintéticos com o mesmo material. Assim, ela fundou a Nacional Ossos. Tenho certeza que essas dicas são extremamente valiosas para cada uma.

1. Escolhas
“Quando você faz uma escolha, vai ter de deixar os outros caminhos de lado”, disse Manuela, enquanto falava sobre ter assumido a empresa da família. “É preciso ter consciência de que não dá para fazer tudo, não dá para ser tudo”, afirmou a empreendedora. “Eu tento ficar feliz e me realizar com aquilo que eu escolhi. Ajuda muito saber que as escolhas não são para sempre. Se não der certo, você tenta de outro jeito.”

2. Tentativa e erro
Manuela conta que, quando assumiu a Filtros Europa, muitas pessoas perguntavam se ela tinha o sonho de ser empreendedora. “Bem, não sei se eu tinha esse sonho, mas era o que eu tinha à minha frente naquela hora. Você nunca vai saber se consegue ser uma boa empreendedora, uma boa líder, se não tentar.”

3. Profissional x Pessoal
“O que funciona para mim é estar inteira naquele momento”, disse Fabiana, quando questionada sobre como administrava seu tempo entre a empresa e família. “Então, se eu estou com os meus filhos, eu estou inteira ali, totalmente focada neles”. A empreendedora acredita que é difícil dividir a vida e as prioridades. “Mas acho que o mais importante é criar um tempo de qualidade. É estar totalmente focada nos filhos quando se está com eles.”

4. Negócios em família
Fabiana e o marido, Paulo Cesar Filho, são sócios na Nacional Ossos. A empreendedora diz que o ingrediente mais importante para administrar um negócio em família é o respeito. “Temos alguns mediadores entre nós que nos ajudam a tomar decisões quando acontece algum impasse. A gente tenta chegar a acordos de maneira muito racional e a respeitar muito a opinião do outro.”

5. Estilo de vida
Para a presidente da Filtros Europa, o estilo de vida empreendedor costuma deixar de lado hábitos essenciais para qualquer pessoa. “Dormir bem é tão importante quanto trabalhar e pagar contas”, afirmou. A empreendedora acredita que ter uma boa noite de sono e fazer boas refeições contribuem também para o sucesso da empresa. “Meu pai costumava dizer que você é 10% do que fala e 90% daquilo que aparenta. Se você está se sentindo bem, vai parecer bem. Tudo isso mexe com a confiança. E a confiança de um empreendedor tem um poder imenso sobre os negócios.”

Fonte: Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Dicas de leitura: “151 ideias rápidas para conseguir novos clientes”

151 ideias livroO livro 151 ideias rápidas para conseguir novos clientes é um manual surpreendente de psicologia aplicada ao mercado, escrito por um dos maiores experts do mundo empresarial, o americano Jerry R. Wilson.

São 151 dicas valiosas e comprovadas para alavancar os negócios, partindo da análise dos erros e acertos das grandes empresas comerciais da atualidade. Qual é o segredo? Investimento inteligente. Diferente. A palavra-chave é inovação, e o foco: o cliente.

Eis os princípios da Clientologia, essa nova filosofia de mercado criada por Jerry. Divertidas, inteligentes e viáveis, essas dicas vão fazer você levantar da poltrona decidido a colocar em prática muitas delas!

Título: 151 ideias rápidas para conseguir novos clientes
Autores: Jerry R. Wilson – Tradução de Vera Limongi
Editora: Geração Editorial
Páginas: 320

Você é uma empreendedora agitada! Veja 5 dicas para dormir bem à noite

empreendedoraVocê é uma empreendedora agitada? E, consequentemente, tem problemas para dormir. Um artigo de Enrico Cardoso para o site Jornal do Empreendedor mostra como você pode ter um sono melhor e de acordo com seu estilo de vida. Ele apresentou 5 dicas para ter uma melhor qualidade no sono.

1. Deixe o seu quarto o mais escuro possível

Algumas coisas estão dentro de seu controle, como a instalação de blackouts ou cortinas que evita a passagem da luz. Se ainda assim sobrar alguma fresta, bloqueie as luzes com uma toalha na frente da porta, e opte por quartos de hotel com cortinas blackout, quando possível. Não importa o quanto você acha que é bom dormir no meio da luz. Seu ciclo circadiano discorda.

2. Remova todos os aparelhos eletrônicos

Algumas pessoas têm uma regra estrita: sem telefones celulares nos quartos. Isso ajuda a se manter longe da iluminação artificial, e longe de distrações. Até o menor feixe de luz pode ser perturbador, e alguns estudos mostram que a frequência dos aparelhos eletrônicos pode perturbar o sono. Talvez seja a hora de comprar um despertador antigo para te acordar.

3. Pare de olhar para telas 2 horas antes de dormir

Está é uma tarefa difícil para alguns empreendedores. Geralmente nós estamos sempre olhando para alguma coisa: tela de computador, televisão, telefones, tablets. Seu corpo precisa de algum tempo para descobrir que está na hora de dormir. Olhar para uma tela vai deixar você mais acordado, e torna mais difícil a tarefa de adormecer.

4. Tenha uma rotina de sono

Além de dispensar os aparelhos eletrônicos, com no mínimo 2 horas de antecedência, crie um hábito de sono. Talvez seja hora de você tomar um chá, um banho quente, ou ler um livro por 30 minutos. Você pode, por exemplo, escovar os dentes, tomar um banho e ir direto pra cama. Dessa maneira, o seu corpo sabe que o seu dia está sendo encerrado. Mesmo a maioria a maioria dos líderes da Forbes 500 têm hábitos parecidos como esse.

5. Descubra a quantidade de sono necessária para você

Idealmente, você deve acordar sem despertador. Você precisa dormir e descobrir quantas horas você precisa para ficar descansado. A média é de 8 horas, mas você pode precisar de 6 a 12 horas para se sentir descansado. As pessoas são diferentes.

Fonte: Jornal do Empreendedor