10 dicas de como empreender na crise

No final de agosto, o site Jornal do Empreendedor fez uma matéria sobre conselhos de como empreender na crise. Ouviu especialistas e apresentou 10 dicas. Leia e reflita. Isso ajudará muito seu dia a dia diante de um preocupante cenário da economia brasileira.

negócios empreendedora

Acreditar no próprio negócio

Começar o próprio negócio pode dar um frio na barriga no primeiro momento, mas é preciso persistir e acreditar no empreendimento, diz Tiago Delgado, sócio-fundador da plataforma Medicina Direta, especializada em gestão de clínicas. “Os produtos e serviços que sobrevivem a crise são aqueles em que o empreendedor acredita. É fundamental acreditar na empresa e prepará-la para a chegada do cenário econômico favorável”, afirma Delgado.

Entender o mercado e a sua ideia

Não é possível criar o seu próprio negócio sem antes entender a sua viabilidade e aceitação no mercado, diz André Pontual, sócio-fundador da NoBeta, startup especializada em segmentação de anúncios. “O primeiro ponto é entender a sua ideia, medir o tamanho do mercado, as possibilidades de aplicação e qual é a forma mais rápida de fazer o seu negócio começar a dar dinheiro”, afirma Pontual.

Resiliência ao longo do caminho

Nessa nova etapa, adversidade serão enfrentadas. Mas nem por isso o empreendedor deve desistir, avalia Guillermo Reid, CEO e cofundador da desenvolvedora de soluções tecnológicas para seguradoras WDEV. “Empreender requer otimismo para os ‘nãos’ ao longo do caminho. É preciso ser adaptativo, ágil, pensar fora da caixa. Em momento de crise como este é preciso focar os investimentos no que de fato importa , fazendo o mínimo possível para que o modelo de negócio gire”, afirma Reid.

Estude a concorrência e os clientes

Requisito básico para qualquer empreendedor é conhecer a sua concorrência e como fidelizar os seus clientes, avalia Augusto Lins, diretor da adquirente de meios de pagamentos Stone. “Conheça os pontos fortes e fracos dos concorrentes e as oportunidades e ameaças que seu negócio irá enfrentar com a competição”, diz Lins. “Atenda seu cliente da melhor forma possível. Coloque ele em primeiro lugar. Você só fideliza o cliente quando cria um relacionamento com ele”, complementa o executivo.

Planejamento do negócio

Em momentos de baixa da economia, planejar as despesas e reduzir os custos ao máximo é essencial, de acordo com Felipe Cataldi, sócio-fundador da plataforma de gestão para empresas de comércio eletrônico Betalabs. “Foco em execução é essencial pra fazer o negócio andar, porém o empreendedor não pode se perder nos problemas diários e deixar de pensar no crescimento da empresa. Sem planejamento e visão de futuro a empresa pode estagnar”, avalia.

Imóvel e equipe

Caso o empreendedor possua capital para alugar uma sala comercial e contratar colaboradores no início do negócio, o momento de crise pode ajudá-lo nessa empreitada, diz Tiago Delgado, da Medicina Direta. “Em momentos de depressão econômica os aluguéis comerciais tendem a cair de preço. Com isso pode ser um bom momento para conseguir uma boa localização”, afirma o empreendedor. “Outro fator que pode ajudar em momentos de crise é a contratação da equipe. Com a economia patinando, normalmente o acesso a talentos e mão de obra se torna mais fácil”, complementa.

Acompanhe os números

A partir do momento que o pontapé inicial no negócio foi dado, é preciso acompanhar os resultados para avaliar o andamento do empreendimento. “Meça e conheça sua operação no detalhe. Seja obcecado por saber o resultado e retorno de cada ação que sua empresa faz”, diz Augusto Lins, da Stone.

Considere o investimento inicial

Para quem resolver criar o seu próprio após sair ou perder o emprego, é preciso considerar que todo custo inicial do empreendimento virá do próprio bolso, alerta André Pontual, da startup NoBeta.

“Uma vez desempregado, as condições de empréstimos diminuem consideravelmente e as necessidades financeiras da empresa – dos custos de abertura de uma empresa ao aluguel – sairão do seu bolso”, diz. “Por experiência própria posso dizer que o gasto muito superior ao esperado não é falta de organização. Faz parte das necessidades do dia a dia de uma empresa, das quais não temos como fugir por mais que gostaríamos”, resume Pontual.

Escolha bem os sócios

Empreender nem sempre pode ser uma opção individual e muitas vezes somar forças pode ser uma boa opção. Mas é preciso ter cuidado, diz Felipe Cataldi, da Betalabs. “Recomendo a todos encontrar aliados, pois diferentes perfis complementares geram uma enorme sinergia que traz insights mais assertivos para o negócio”, afirma.

Não tenha medo de errar

No começo do empreendimento poderão ser cometidos falhas até acertar o ponto certo. Portanto, estar sujeito a erros é normal para qualquer negócio e todos devem ser considerados, avalia Augusto Lins, da Stone. “Não tem problema errar. Como diz a máxima, é errando que se aprende. Tolice é cometer o mesmo erro novamente. Aproveite as falhas para aprender e corrigir processos”, afirma.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s